A FÉ ABRAÇA A VIDA

A FÉ ABRAÇA A VIDA

Um viajante ocidental, ao visitar a China, foi envolvido pelas redes do amor. Uma jovem chinesa, olhos amendoados, pele sedosa, sorriso encantador, enfeitiçou sua alma. O encantamento foi recíproco, porém a barreira da comunicação parecia intransponível. Mas nada parece impossível aos olhos dos que amam.

Regressando ao seu país, o jovem começou a estudar chinês. Não apenas estudou o idioma, mas também seus numerosos dialetos e a milenar história daquele país e sua literatura. Num segundo momento, começou a proferir palestras e escreveu alguns livros sobre a China e seus costumes. Tornou-se um especialista, mas esqueceu seu amor e sua amada.

O fato faz lembrar o doente que adquiriu um remédio, leu a bula, pesquisou e tornou-se um especialista sobre a doença, mas não tomou o remédio. É a velha questão entre o pensar e o agir, entre a teoria e a prática.

Há pessoas que sabem tudo de religião e não a vivem. Há   especialistas em educação, mas que falham na própria família. Há políticos que conhecem profundamente os problemas e suas soluções, mas nada fazem. Há os que discursam sobre ética e que a comprometem na prática.

Estas incoerências são sempre perigosas. Muitas vezes fazem a opinião pública descrer de causas, em si mesmo boas. É perigosa também a generalização envolvendo classes – políticos, empresários, motoristas, jovens – dizendo:  todos são assim.

No Evangelho encontramos as emblemáticas figuras dos Doutores da Lei. O Mestre Jesus, sempre marcado pela ternura, teve contra eles palavras muito duras, porque eles ensinavam, mas não faziam. Ele os chamou de hipócritas e sepulcros caiados.  Em sua simplicidade, Francisco de Assis dizia que o melhor pregador é o Frade Exemplo.

O pecado faz parte, com mais ou menos intensidade, da vida de todos. Deus ama os pecadores, mas não aceita os incoerentes. Unir Fé e Vida é o ideal cristão. De nada adiantaria rezar pela manhã e passar o resto do dia como pagão. Aquilo que celebramos no domingo deve ser o programa para a semana.

Frei Aldo Colombo.

compartilhar

Posts Recomendados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *