JESUS E AS MULHERES

JESUS E AS MULHERES

O Dia Internacional da Mulher – 8 de março – propicia abordagens da mulher e da ótica feminina em muitas direções. O escritor italiano Giovanni Papini afirma: “ Também as mulheres amavam a Jesus”. E eram amadas por Ele.

Jesus nunca teve uma palavra dura contra qualquer mulher. Numa cultura onde a mulher ficava sempre na sombra, Ele teve gestos de grande carinho com elas. São numerosas as mulheres que cruzaram o caminho de Jesus. Entre outras: a viúva de Naim (Lc 7,12); Maria Madalena (Mc 16,9; a mulher samaritana (Jo 4,7); a mulher na casa de Simão (Lc 7,44) e as irmãs Marta e Maria do lar de Betânia (Lc 10, 38)

A “samaritana”, mulher pagã e de cinco maridos, foi a primeira missionária. Junto a Cruz, elas ficaram destemidas até o fim. E porque foram as últimas a deixar o Calvário, foram as primeiras a chegar ao túmulo no Terceiro Dia. E Maria Madalena – possivelmente a melhor amiga de Jesus – foi a primeira a testemunhar o Ressuscitado. Foi ela que anunciou aos apóstolos: “ Eu vi o Senhor”. Lucas fala de algumas mulheres que acompanhavam Jesus e os apóstolos nas caminhadas missionárias.

Em Betânia, residiam Lázaro e suas irmãs Marta e Maria. Era uma ilha de paz, onde Jesus encontrava acolhida após as cansativas viagens no anúncio da Boa Nova. As duas acolheram Jesus em sua casa. Marta preparava uma acolhida memorável, enquanto Maria “Ficou sentada, aos pés do Senhor, escutando sua Palavra” (Lc 10.39)

Na história da humanidade e da própria Igreja, à mulher sempre foi reservado um papel discreto, com o homem assumindo o protagonismo. Hoje a ascensão da mulher, embora com ambiguidades, é um fato promissor. A mulher tem muito a dizer na Igreja e na história humana, até agora construídas pelo homem. Precisamos do serviço e da ternura de Marta e da sensibilidade mística e profética de Maria. A humanidade precisa da ótica feminina para perceber os sinais dos tempos e difundir a Boa Nova de Jesus.

O horizonte feminino é iluminado por Maria “a mãe do meu Senhor” como proclamou Isabel (Lc 1,43) É a mais santa e amada das mulheres.  Mãe, esposa, irmã, filha, profetisa e missionária, – como Maria – a mulher não quer apenas um dia, mas espaço para tornar este mundo mais humano e espiritual.

Frei Aldo Colombo.

compartilhar

Posts Recomendados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *