Cuidado é contagioso

Cuidado é contagioso

Dizem que a história da medicina começou quando alguém começou a lavar as mãos

regularmente. Não são as doenças que nos pegam, nós as pegamos, especialmente

com as mãos. E aí elas se propagam por contágio. Não são apenas contagiosas as

doenças. Tudo na vida é contagioso.

O Executivo de uma multinacional gritou com o gerente de uma filial. Ele estava

nervoso e as coisas não iam bem. Chegando em casa, diante de um farto almoço, o

gerente reclamou que os gastos estavam muito altos. A esposa gritou contra a filha

porque notas escolares estavam abaixo da crítica. Esta descarregou sua raiva contra o

irmão por causa do som, muito alto. O recurso do caçula foi chutar o cachorro que,

pouco tempo depois, mordeu a perna de uma vizinha. Entrando na farmácia, a senhora

reclamou do preço e da demora.

A reação negativa, em cadeia, poderia continuar, mas alguém colocou um ponto final.

A esposa do executivo, depois de elogiar a elegância da filha, afagou os cabelos do

caçula e telefonou o esposo. Sugeria que fossem, com os filhos, jantar fora. À noite

marido presenteou a esposa com um buquê de rosas.

Existiram duas correntes opostas. A primeira assumiu a irritação e a intolerância, a

segunda optou pela alegria e pelo amor. Mas, para isso, alguém teve de tomar a

iniciativa. Mesmo magoada, a pessoa pode sorrir, dar sinal que o incidente foi

esquecido. Assim é criado um ambiente cordial onde todos ganham. O Evangelho

garante que, aquele que aceita perder, vai ganhar (Mc. 8,35) É ainda o Evangelho que

aponta a beleza do perdão, dado e recebido. Perdoar é a única maneira de zerar o mal

e iniciar nova vida.

A meteorologia anuncia o bom e mau tempo. O bom e o mau tempo estão também

dentro de nós. Há pessoas que sinalizam mau tempo, céu escuro, trovoadas e

tempestades. Outras anunciam o bom tempo. Há pessoas em permanente inverno,

outras anunciam a primavera. A vida é curta demais para ser gasta com amarguras.

Sorrir é um gesto de amor. E o amor também é contagioso.

Frei Aldo Colombo.

compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *