As lições da Cegonha

As lições da Cegonha

As cegonhas, com um metro de altura, três quilos de peso e longas asas, constituem-se num das mais interessantes obras da natureza. E ao redor dela surgiram muitas lendas. Elas vivem em campo aberto, em zonas pantanosas e se alimentam de rãs, cobras, minhocas e peixes. Aves migratórias, gostam do calor, mas na primavera buscam climas mais temperados, para afazer o ninho, onde colocam cerca de cinco avos. Elas constroem o ninho sobre as moradias, tendo preferência pelas chaminés.

Elas não têm faringe e por isso não emitem sons vocais, apenas se comunicam batendo com os bicos. Quando chove, para proteger seus filhotes, estendem suas grandes asas como guarda-chuvas.     Em tempos mais inocentes atribuía-se se à cegonha a tarefa de trazer os recém-nascidos, que elas encontravam nos banhados

O ninho da cegonha é muito consistente. Para sua construção, elas tomam tudo o que encontram:  galhos de árvores, papéis, roupas, arames, borrachas e até tampinhas de refrigerantes. Uma providencial camada de barro, forrada de penas, torna o ninho a prova de ventos e tempestades. Ali depositam os ovos e ali passam as primeiras semanas seus filhotes. É o pouco cimentado pelo amor.

A atitude desta ave nos lembra a passagem do Evangelho da multiplicação do pão. No final, Jesus pede: recolhei as sobras (Jo 6,12) As cegonhas junta coisas imprestáveis e com elas fazem o berço para seus filhos. Com coisas, aparentemente, sem valor, elas cuidam e protegem a vida. Elas não falam, mas sobre os telhados proclamam o milagre da vida. Sua atitude é pacífica e por isso seus ninhos são respeitados pela população e fora do alcance dos predadores. Outro detalhe:  as cegonhas são monogâmicas e o casal jamais se desfaz, a não ser pela morte.

Nossa cultura é extremamente consumista. As pessoas compram, mesmo sem necessidade e acabam jogando fora. Contra esta cultura do descartável, a cegonha mostra como utilizar os recursos existentes em favor da vida. Ela lembra o trabalho gigantesco das pastorais sociais e – sobretudo – da pastoral da criança, que realiza verdadeiros milagres com as multimisturas, quase totalmente produzidas com coisas que seriam desperdiçadas ou jogadas fora.

Mais uma vez, a natureza nos ensina. É por isso que o Evangelho recomenda olhar as aves do céu e os lírios do campo, (Mt 6,26) em sua beleza e simplicidade. Ave do céu, a cegonha nos dá aulas de ecologia e do alto dos telhados nos ensina o supremo valor da vida, numa estrofe a mais do franciscano Canto das Criaturas.

Frei Aldo Colombo.

compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *